ETAS

O sistema de produção de água de Itapema passou por uma verdadeira transformação a partir de 2004. Antes a cidade era atendida por três Estações de Tratamento. A capacidade de produção das estruturas em funcionamento no município era de 316 mil litros por hora. As ETAs também apresentavam problemas causados pela falta de manutenção adequada e não garantiam o abastecimento no verão.

Hoje as ETAs em funcionamento na cidade produzem mais de 1,6 milhão de litros por hora. Sozinha, a ETA Morretes, que abastece os bairros Morretes e Meia Praia, trata até 1,08 milhão de litros por hora.

As estruturas foram completamente reformadas e passam por manutenção constante.

As melhorias possibilitaram que os problemas de desabastecimento no verão se tornassem coisa do passado.

Nas ETAs, a água captada em rios ou na lagoa de acumulação da empresa passa por uma série de processos físico-químicos até se tornar pura e livre de microorganismos causadores de doenças.

São cinco as etapas do tratamento:

01

Coagulação

Assim que chega à estação de tratamento, a água recebe produtos químicos que têm ação coagulante – facilitam a união de diferentes partículas dissolvidas na água.

02

Floculação

Sob ação dos coagulantes, as impurezas presentes na água (bactérias, poeira, plâncton) se unem umas as outras e se transformem em flocos.

03

Filtração

Os flocos formados na etapa anterior do processo de tratamento são mais facilmente retidos pelos filtros instalados nas estações de tratamento. Esses filtros têm componentes que retém as impurezas da água.

04

Desinfecção (cloração)

Livre de impurezas, retidas pelos filtros, a água recebe adição de cloro, composto que garante a eliminação completa de microorganismos ainda presentes na água.

05

Fluoretação

Antes de seguir para a rede de distribuição ou os reservatórios, a água recebe flúor. O produto não é utilizado para eliminar impurezas, mas como auxiliar na prevenção do aparecimento de cáries entre a população.